Claire, a protagonista de A viajante do tempo é uma mulher de personalidade forte, lutando para se manter num mundo de homens violentos, que busca seu verdadeiro amor enquanto participa de importantes acontecimentos da história. Claire Beauchamp Randall foi separada de seu marido Frank pouco depois da lua-de-mel, quando ele foi convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial. Ao final do conflito, Claire e Frank se reencontram e retomam a vida que tinham em comum numa viagem a Escócia. Mas o reencontro não ocorre da forma esperada. Parece haver entre a esposa e o marido um distanciamento muito maior do que aquele causado pelos anos de guerra. Ao visitar uma antiga e mística formação de rochas, Claire finalmente vai conhecer seu destino.

Autora: Diana Gabaldon
Editora: Rocco
Páginas: 736
Classificação: 4/5
Formato da leitura: E-book

Meu primeiro contato com esta série de livros se deu através da série Outlander. Os livros acompanham a personagem Claire, uma enfermeira na 2º Guerra Mundial, que durante a lua de mel com seu marido, Frank, em Inverness, nas highlands escocesas, acaba por atravessar pelas pedras e acaba indo parar no mesmo local, porém duzentos anos antes. Em plena preparação para a Batalha de Culloden.

O marido de Claire estava em Inverness pesquisando sobre seu antepassado Black Jack Randall. E é com ele o primeiro encontro de Claire no passado. Porém, apesar dos traços semelhantes a seu marido, o homem é um lobo em pele de cordeiro.
Chega-se a um ponto, numa intensa luta física, em que uma pessoa se abandona ao uso desenfreado de força e recursos corporais, ignorando os custos até a luta acabar. As mulheres encontram este ponto no parto; os homens na batalha. Passado esse ponto, você perde todo medo da dor ou do ferimento. A vida se torna muito simples a essa altura; você fará o que está tentando fazer ou morrerá na tentativa e, na verdade, não importa muito o desfecho.
Assustada e perdida, Claire acaba sendo "sequestrada" por um grupo de escoceses e entre eles, ela conhece o jovem Jamie Fraser. Os talentos da enfermeira logo se espalham pelo vilarejo e alguns acreditam que ela seja uma bruxa. Porém, nem todos acreditam em sua história sobre ser uma inglesa que se perdeu de sua família. Especialmente Black Jack Randall.

Para escapar de ser levada a força para a Inglaterra e enfrentar um julgamento, os seus novos amigos escoceses sugerem que ela se case com Jamie, dessa forma poderia se tornar uma cidadã escocesa.


Quando Jamie descobre o segredo de Claire, ele acredita em sua esposa, mesmo que não consiga compreender muito bem o que aconteceu com ela. Mas sendo um escocês, já está familiarizado com mitos, lendas, e situações inexplicáveis pela ciência da época.

É então que Claire é confrontada com uma grande decisão ao se ver novamente ante as pedras. Voltar para o presente, para seu marido Frank e para a modernidade, ou ficar ali no passado, com Jamie e a iminência da batalha de Culloden que paira sobre as terras altas da Escócia.
Você tem livre-arbítrio, assim como todas as outras pessoas neste mundo. E a história, acredito, é a soma de todas essas ações. Alguns indivíduos são escolhidos por Deus para afetar os destinos de muitas pessoas. Talvez você seja uma delas.
Meu primeiro contato com este livro foi através da série Outlander. Me apaixonei por esta história sobre a Escócia, sobre liberdade, amor e lutar pelo que se acredita! Há poucas diferenças entre o livro e a série. Cada temporada acompanha um dos livros.

A série Outlander está na terceira temporada, enquanto que já existem oito volumes publicados pela autora. Indico a série para quem gosta de história, romance e aventura. A ilustração foi encontrada no Pinterest e retrata o momento da difícil decisão de Claire.

Deixe um comentário

Seu comentário será sempre bem vindo!

Divulgação de blogs