Os Renegados são um sindicato de prodígios — humanos com habilidades extraordinárias — que emergiram das ruínas de uma sociedade deteriorada e estabeleceram paz e ordem onde o caos reinava. Como campeões de justiça, eles continuam um símbolo de esperança e coragem para todos...exceto para os vilões que uma vez eles derrubaram.
Nova tem uma razão para odiar os Renegados, e ela está em uma missão de vingança. Conforme ela se aproxima de seu alvo, ela conhece Adrian, um garoto Renegado que acredita em justiça — e em Nova. Mas a aliança de Nova é para um vilão que tem o poder de matar a ambos.







Prólogo

Nós todos fomos vilões no início.
Por centenas de anos, prodígios eram temidos por homens comuns. Por conta deste medo, fomos caçados. Atormentados. Zombados e oprimidos. Nós fomos acreditados como bruxas e demônios, loucos e abominações. Fomos apedrejados, enforcados e queimados enquanto as multidões se juntavam para assistir com olhos cruéis, orgulhosos de livrar o mundo de mais um pária.
Eles tinham direito de estar assustados.
Centenas de anos.
Quem teria tolerado isto?

Ace mudou tudo. Ele uniu os mais terríveis prodígios que ele pode achar e juntos eles re rebelaram. Seu grupo pouco se importava com a perda de vidas inocentes, destruição em massa ou até mesmo o que viria depois que o velho mundo desmoronasse. Eles se importavam apenas pela mudança, e portanto mudança eles obtiveram.
Ele começou com a infraestrutura. Edifícios do governo arrancados de suas fundações. Bancos e bolsas de valores se transformaram escombros e cinzas. Pontes foram arrancadas dos céus. Freeways inteiras reduzidas a terrenos rochosos.

Então ele foi atrás das pessoas que havia falhado com ele. Falhado com todos eles.
O governo inteiro, se foi. Aplicação da lei, dissolvida. Aqueles burocratas sofisticados que haviam comprado seu caminho para o poder e a influencia... todos mortos, e tudo em questão de semanas.
O caos emergiu para preencher o vazio deixado pela sociedade civilizada, e medo e desconfiança continuariam a governar por vinte longos anos.
Eles chamam isto de a Era da Anarquia, mas pensamos nisto como os dias de glória.

Olhando para trás agora, as pessoas falam sobre os Anarquistas e as outras gangues que se levantaram ao poder como se eles fossem a pior parte destes vinte anos, mas eles não foram. Claro, todos estavam assustados com eles, mas eles normalmente o deixavam sozinho se você os pagasse e não causasse problemas a eles.

Mas o povo. As pessoas normais. Eles eram piores. Sem regras ou leis, se tornou cada homem, mulher e criança por si mesmos. Não havia repercussões para crimes e violência—ninguém a recorrer se você fosse açoitado ou sua família fosse assassinada. Sem policia. Sem prisões. Não legitimas, de qualquer forma. Vizinhos roubavam de vizinhos. Lojas eram saqueadas e mantimentos eram acumulados, deixando crianças morrer de fome nas sarjetas. Se tornou o forte contra o fraco e como se mostrou, os mais fortes são normalmente idiotas.

A humanidade perde a fé em momentos como este. Com ninguém para se espelhar, ninguém para acreditar, nós todos nos tornamos ratos vivendo no esgoto.
Talvez Ace realmente fosse um vilão. Ou talvez ele fosse um visionário.
Talvez não tenha muita diferença.

De qualquer forma, ele e sua gangue governaram a cidade Gatlon por vinte anos, enquanto o crime a libertinagem se espalhavam como esgoto em u tubo de apoio. E a Era da Anarquia talvez tenha durado por outros vinte anos. Cinquenta anos. Uma eternidade.

Mas então, aparentemente durante a noite... esperança.
Luminosa e brilhante esperança, vestida de capas e máscras.
Bela e alegre esperança, prometendo resolver todos os seus problemas, consertar todos os males do mundo, derramar justiça sobre seus inimigos, e provavelmente falar severamente para alguns andantes errantes ao longo do caminho.

Calorosos e prometendo esperança, encorajando as pessoas normais a ficar onde era seguro enquanto eles consertavam tudo. Não se preocupe em ajudar a si mesmos. Você tem o suficiente em seu prato, com toda a postura de esconder, varrer e fechando os olhos para o que você tem feito recentemente. Pegue um dia de folga. Somos super heróis. Nós temos isto sob controle.
A Esperança se chamava Renegados.

~*~
O prólogo e o primeiro capítulo foram disponibilizados internacionalmente. Como eu traduzi o texto, vale lembrar que talvez seja diferente da tradução da editora que comprar os direitos sobre o livro aqui no Brasil.

Eu amo a escrita da Marissa, e espero também gostar desta série, que difere do gênero que a autora costuma escrever, releituras de contos de fadas (A série Crônicas Lunares e o livro Heartless). Aqui temos algo novo, puxando para a distopia e ficção científica.

Alguém já se interessou por este lançamento?

2 Comentários

  1. Oiii Talita!!!

    Eu gosto muito da escrita da Marissa Meyer, tudo que li dela me empolgou e já tenho Heartless esperando na estante pra ser lido. Renegades é uma coisa nova pra mim, porque nucna li graphic novels porém sendo Meyer a autora com certeza darei uma oportunidade, até porque a premissa parece ser muito boa.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice, eu já li Heartless e gostei muito! Vamos esperar o lançamento de Renegades para ver se vai ser bem recepcionado pelos leitores.
      Abraços!

      Excluir

Seu comentário será sempre bem vindo!

Divulgação de blogs