"Em A irmã da tempestade, segundo volume da serie As Sete Irmãs, as vidas de duas grandes mulheres separadas por gerações se entrelaçam numa historia sobre amor, ambição, família, perda e o incrível poder de se reinventar quando o destino destrói todas as suas certezas.
Ally D’Apliése é uma grande velejadora e está´ se preparando para uma importante regata, mas a noticia da morte do pai faz com que ela abandone seus planos e volte para casa, para se reunir com as cinco irmãs. Lá, elas descobrem que Pa Salt – como era carinhosamente chamado pelas filhas adotivas – deixou, para cada uma delas, uma pista sobre suas verdadeiras origens.
Apesar do choque, Ally encontra apoio em um grande amor. Porém mais uma vez seu mundo vira de cabeça para baixo, então ela decide seguir as pistas deixadas por Pa Salt e ir em busca do próprio passado.
Nessa jornada, ela chega á Noruega, onde descobre que sua história está ligada á da jovem cantora Anna Landvik, que viveu há mais de cem anos e participou da estreia de uma das obras mais famosas do grande compositor Edvard Grieg. E, a medida que mergulha na vida de Anna, Ally começa a se perguntar quem realmente era seu pai adotivo."


Autora: Lucinda Riley
Editora: Arqueiro
Páginas: 528
Classificação: 4/5 ♥
Formato da leitura: Físico

A Irmã da Tempestade é o segundo livro da série As Sete Irmãs. No primeiro livro da série, descobrimos sobre a irmã Maia e sua origem brasileira. Neste livro, conhecemos Ally e sua origem norueguesa.

Ally D'Apliése, flautista e velejadora profissional, estava velejando com o namorado Theo Falys-Kings quando descobriu que seu amado pai adotivo, Pa Salt, morrera. Em seu testamento, ele deixou apenas cartas para cada uma das seis filhas adotivas e coordenadas na esfera armilar no jardim da propriedade Atlantis, a casa onde as meninas cresceram, na Suíça.

Após ler a carta e descobrir sobre as coordenadas, relacionadas à Noruega, a jovem tenta retornar a sua rotina, apesar do luto. Theo está a seu lado para ajudá-la neste momento difícil. O relacionamento dos dois começa a ficar mais sério, e ele a apresenta para seus pais, Célia e Peter, que estão divorciados há anos.

Os dois decidem velejar em uma competição importante, em preparação para as Olimpíadas. No entanto, as águas agitadas são perigosas e mesmo competidores experientes estão temerosos de que a competição será cancelada. Mas poucos tempo depois a competição se inicia, e uma tragédia ocorre. É então que Ally decide seguir as pistas deixadas por Pa Salt para descobrir sobre seu passado.
"Em momentos de fraqueza, você irá encontrar sua maior força."
Anna Landvik foi uma jovem que tinha uma linda voz e com seu talento pode interpretar a "voz fantasma" de Solveig, da ópera Peer Gynt, obra do compositor Edvard Grieg. A jovem veio de uma família humilde do interior e se mudou para a cidade grande graças a seu talento.

Portanto, era muito ingenua e logo se viu apaixonada pelo violinista Jens Halvorsen, uma espécie de Casanova do teatro. Ela dá as costas a tudo para viver com seu grande amor após ele ser expulso da orquestra e os dois fogem para a Alemanha e se casam em segredo.

No entanto, ambos não possuem muitos recursos e Anna não consegue arrumar emprego ou usar sua bela voz por desconhecer o idioma. A jovem passa por diversas provações, até ser encontrada por Edvard Grieg, que a coloca de volta aos palcos para mostrar sua voz ao mundo.
"O importante era eu ter recebido a dádiva da vida, e cabia a mim fazer dela e de mim o melhor que pudesse."
Ao longo do livro, vemos Ally amadurecer e nos emocionamos com a estória de sua bisavó, ao mesmo tempo em que descobrir mais sobre a cultura norueguesa e sobre o mundo da ópera e da música. Como todo livro da Lucinda, é impossível não se apaixonar pelos personagens e suas estórias, além de se encantar com a escrita da autora. Recomendo os livros da Lucinda para quem ame romances históricos e aos que desejam se emocionar.

Deixe um comentário

Seu comentário será sempre bem vindo!

Divulgação de blogs