Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 480
Classificação: 4/5
Formato da leitura: Físico

Crave a Marca foi uma leitura muito surpreendente! Me lembrou muito de Star Wars: A Força sendo representada pela corrente, que flui pelos seres e planetas pela galáxia. Uma Assembleia que controla o comércio e as relações diplomáticas entre os planetas, assim como o Senado de Star Wars.

Algo que ocorre em todos os planetas da galáxia é que cada habitante possui um dom da corrente, um poder que se manifesta de forma diferente em cada indivíduo, e apenas alguns possuem a fortuna. A fortuna é determinada pelos oráculos, três em cada planeta, onde em cada possibilidade de futuro, ocorre o mesmo destino para determinadas pessoas.
Corações frágeis fazem valer a pena viver neste mundo.
Thuve é um planeta habitado por duas nações em guerra: Thuvianos e Shotets. Akos Kereseth é filha da oráculo Sifa, e com ela aprende a preparar poções com flores-sossego. Ele é muito ligado a família, e por ainda ser criança, não conhece seu dom da corrente, mas sabe que ele e seus irmãos Eijeh e Cisi possuem fortunas, apesar de os pais não lhes terem revelado quais são.

Tudo muda quando a Assembleia decide quebrar o sigilo e revelar para todos os habitantes dos planeta-nações as fortunas de crianças em todos os planetas. É então que o caos se instala. Akos é retirado da escola com seus irmãos e levados imediatamente para a casa deles, onde descobrem três soldados Shotet os esperando.
É como se, quanto mais terríveis forem as coisas que você descobre de uma pessoa, ou mais terrível a pessoa for para você, mais gentil você é com ela.
Apesar de lutarem, Akos e Eijeh são levados pelos inimigos. É lá que irão descobrir suas verdadeiras fortunas, e conhecer Ryzek Noavek, líder Shotet, e sua irmã Cyra. Rizek é cruel e um estrategista, que tenta a todo o custo reverter sua fortuna. Ele usa sua irmã para alcançar seus objetivos, pois o dom da corrente dela é a dor, e assim ele pode torturar seus inimigos através dela. Porém, Cyra também sofre constantemente com as dores de seu dom.

É quando Rizek decide colocar Akos a serviço de sua irmã, pois o dom-da-corrente de Akos impede os dons de outras pessoas de se manifestarem, já que seu poder impede o fluxo da corrente. Com o toque de Akos, Cyra pode viver sem dor.

Algo que acaba surpreendendo a ambos é a amizade que surge entre eles. Conforme a amizade deles fortalece, ambos terão terão de decidir sobre a lealdade de cada um, se os laços familiares valem mais do que a honra, mais do que a verdade e da bondade.
Eu era uma Noavek, e ele um Kereseth. Eu era da nobreza, e ele um prisioneiro. Qualquer que fosse a tranquilidade que encontrávamos um no outro era construída ignorando os fatos.
Eu amei este livro! Cheio de ação e fantasia, o livro é perfeito para os fãs de Star Wars e ficção científica. Amei a construção deste mundo, povos e culturas diferentes, mas ao mesmo tempo, tão parecidos. Todos sentem dor, todos sofrem, todos temem, e todos amam.

Os personagens foram bem construídos, tanto os principais como os coadjuvantes. Cyra foi criada em um lar sem amor, porém isso não impede que ela sinta. Eles podem te-la criado como uma arma para ser usada contra inimigos, mas não puderam endurecer seu coração.

Já Akos foi separado de sua família pelos Shotet e assistiu sem poder impedir seu irmão Eijeh ser transformado lentamente em outra pessoa. Seu maior desejo é fugir e levar seu irmão com ele.
Não há lugar para honra na sobrevivência.
Rizek age e pensa como um tirano, mas no fundo é apenas alguém assustado, lutando contra o destino, se apegando ao poder e ao prestígio social, apesar de isto afastá-lo da única pessoa realmente ligada a ele, sua irmã.

Estou muito ansiosa pela sequência, com lançamento previsto para 2018, para descobrir como esta história irá terminar e que caminhos os personagens irão escolher. Eu amo a trilogia Divergente e já esperava gostar deste livro, mas mesmo assim foi uma ótima surpresa ter minhas expectativas superadas.

2 Comentários

  1. Oiii Talita

    Pelos comentários que tenho lido no Goodreads, já notei que esse livro é muito "ame" ou "odeie", sério mesmo, não vi ninguém ficar em cima do muro...rsrs. Da Roth tenho boas lembranças com Divergente, amei aquele livro apesar de não ter terminado a trilogia (aquele spoiler gigante que circulou na web destruíu minha vontade de seguir com a série...). Ainda não creio que esteja no ritmo para Crave a Marca, mas não descarto conferir esse livro futuramente.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice. Acho que todo mundo pegou este spoiler de Convergente hehe mas isso não me fez gostar menos do livro, que continua sendo uma das minhas trilogias favoritas.
      Espero que quando ler Crave a Marca, fique no time dos que gostaram deste livro!

      Abraços.

      Excluir

Seu comentário será sempre bem vindo!

Divulgação de blogs